Os condomínios e o lixo eletrônico

02/04/2018

Implicações do lixo eletrônico para o condomínio

Segundo o Secovi-SP, a coleta de lixo reciclável pode ser uma fonte de renda para o condomínio ao ser vendida. O problema é que alguns prédios permitem que os funcionários levem os itens descartados mais valiosos, impedindo que haja uma quantidade suficiente para revenda, diminuindo assim o estímulo para a coleta. Infelizmente é muito comum que televisores, celulares e outros equipamentos sejam encontrados nas lixeiras dos prédios, causando um grande problema aos síndicos e ao próprio condomínio.

Resíduos Sólidos

Sendo os condomínios aglomerados de pessoas, é natural que muitas atividades aconteçam simultaneamente e nem todas possam ser controladas. A destinação dos resíduos sólidos é uma delas.

Chamamos de resíduos todos os materiais organizados, limpos e caracterizados por semelhança ou destino, logo, dão possibilidade à reciclagem. Os resíduos mais comuns são vidro, plástico, papel, papelão e metais e equipamentos eletrônicos.

3r´s da sustentabilidade

Há um conceito, também considerado dentro das premissas da ONU, que prega a prevenção e minimização do desperdício, são chamados os 3R´s da sustentabilidade - reduzir, reutilizar e reciclar.

  • Reduzir - consumir menos produtos, preferir aqueles que geram menos resíduos e possuem maior durabilidade.
  • Reutilizar - dar preferência aos produtos que oferecem opção de refil ou usar novamente as embalagens seguras como, por exemplo, potes de sorvetes.
  • Reciclar - envolve a transformação dos materiais para a produção de matéria-prima para outros produtos por meio de processos industriais ou artesanais. É fabricar um produto a partir de um material usado.

A reciclagem de lixo eletrônico é vista como necessária, uma vez que a indústria eletrônica gera a cada ano quase 50 milhões de toneladas de lixo provenientes de computadores e smartphones no mundo.

Até o final de 2018 estima-se que cada cidadão brasileiro tenha gerado 7,7 Kg de lixo eletrônico. Não é difícil imaginar o impacto negativo causado dentro dos inúmeros condomínios residenciais e comerciais dos grandes centros urbanos.

Ressaltamos os condomínios comerciais da cidade de São Paulo, denominados como Grandes Geradores de Resíduos Sólidos, pois para eles existe a Lei 14.973/2009 que prevê cobranças de multas no valor de R$ 10.000,00, corrigidos pelo IPCA e dobrado em casos de reincidência

Conscientizar os condôminos não é tarefa fácil, mas é possível.

Além de incentivar as coletas programadas de lixo eletrônico, oferecidas por empresas especializadas e buscar ajuda profissional para uma comunicação clara, ações como palestras podem ser muito úteis para ajudar os síndicos. Também podem ser feitas campanhas envolvendo as pessoas, como o "Dia do Descarte Consciente", trabalhando em conjunto com empresas relacionadas à sustentabilidade em todas as suas formas.

Fontes:
Instituto Lixo Zero Brasil
ONU - Relatório Conferência dos Oceanos (junho/2017)
ONU/GSMA - Relatório lixo eletrônico na América Latina
Fecomércio - www.fecomercio.com.br
Ministério do Meio Ambiente - www.mma.gov.br
Prefeitura de São Paulo - www.prefeitura.gov.sp.br


Matéria publicada no blog do grupo Soluções para Condomínio - A Eixo TI também está lá!! 

https://www.solucaoparacondominio.com.br/como-os-condominios-podem-contribuir-com-a-coleta-de-lixo-eletronico/